Pular para o conteúdo principal

Ampliação do “Minha Casa, Minha Vida” para a Paraíba

A ampliação de recursos públicos para o desenvolvimento de programas habitacionais e o aumento do acesso à rede de esgotamento sanitários nos municípios estão entre as oito propostas aprovadas, neste sábado (17), na 4ª Conferência Estadual das Cidades, e que serão levadas à Conferência Nacional, em Brasília. O evento – que começou na sexta-feira (16) – ocorreu no Cine Banguê do Espaço Cultural, em João Pessoa. Também foram escolhidos os 48 delegados que representarão a Paraíba na plenária nacional.

Os 550 delegados, que compareceram a 4ª Conferência Estadual das Cidades, elegeram a ampliação do programa “Minha Casa, Minha Vida” para a população de baixa renda e desburocratização dos processo de seleção das famílias contempladas no programa.

Entre as oito propostas que serão levadas à Brasilia, na Conferência Nacional, os delegados da Paraíba vão cobrar ao governo federal, estados e municípios a execução de políticas para ampliar serviços de fornecimento de energia elétrica e água tratada nos municípios, além da coleta e tratamento de resíduos sólidos. Na 4ª Conferência Estadual das Cidades foram analisadas mais de mil propostas para serem retiradas apenas oito.

O acompanhamento de programas do Ministério das Cidades e a liberação de verbas para a criação de conselhos das cidades também estão na relação de reivindicações da Paraíba.

As propostas que serão levadas a Brasília e mais 12 sugestões de ações para o desenvolvimento urbano da Paraíba serão enviadas ao Governo do Estado para que elas possam nortear as políticas públicas nas zonas urbanos dos 223 municípios paraibanos.

O superintendente do Insituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme), Achilles Leal Filho, concluiu que a 4ª Conferência Estadual das Cidades cumpriu o objetivo principal: elencar propostas para a melhoria da qualidade de vida do povo paraibano.

“A Conferência Estadual foi bastante positiva. Tudo que foi feito ocorreu de forma democrática. Cada delegado, que representou seu município, apresentou as necessidades locais e deu sugestões para o desenvolvimento de políticas públicas”, avaliou Achilles Leal, que é o coordenador estadual do evento.

A avaliação positiva da Conferência Estadual também foi feita pelos delegados que representaram os 140 municípios. O sociólogo Ceciliano Gomes – que representou o município de Cubati – afirmou que as plenárias são espaços onde a população tem vez e voto. “É um local democrático. Todos podem opinar na criação de políticas públicas”, declarou. Já a representante do Movimento pela Moraria (MPM) Fabíola de Oliveira acredita que as propostas elaboradas pela Paraíba, na Conferência Estadual, serão aceitas na plenária nacional, em Brasília.

“O que nós defendemos na Paraíba, com certeza, será aprovado em nível nacional porque todos querem moradias dignas, com água encanada, luz, ruas pavimentadas e esgotamento sanitário”, disse.

A 4ª Conferência Estadual teve como lema ‘Cidade para todos e todas com gestão democrática, participativa e controle social’. O tema será ‘Avanços, dificuldades e desafios na implementação da política de desenvolvimento urbano’.
Da Secom-PB
Portal Correio

Postagens mais visitadas deste blog

Valor do m² segundo pesquisa do CRECI/ PB em João Pessoa

Ontem o CRECI - PB divulgou a Pesquisa de Demanda Imobiliária demonstrando dados do mercado imobiliário. Segundo esta pesquisa, o valor do m² praticado na capital (ref. abril/12) é o seguinte: Bairro Valor do m² (R$) Tambaú 5.810,85  Cabo Branco 5.620,19 Manaíra   4.927,35 Miramar   4293,45 Altiplano  4.242,64 Bairro dos Estados 4.153,41 Jardim Luna   4.138,61 Jardim Oceania 3.092,50 Bessa   3.819,01 Tambauzinho   3.694,39 Aeroclube 3.554,39 Jardim 13 de Maio 3.429,11 Jardim São Paulo 3.260,29 Expedicionários 3.248,84 Torre 3.142,06 Castelo Branco 3.021,93 Bancários 2.815,73 Jardim Cidade Universitária 2.329,59 Portal do Sol 2.314,94 Água Fria 2.237,04 Ernesto Geisel 2.213,22 Rangel 2.1

Imóvel na praia - conheça o que significa Laudêmio

Laudêmio  É uma taxa a ser paga à União quando de uma transação com escritura definitiva de compra e venda, em terrenos de marinha. As taxas de ocupação ou foro são pagas anualmente, divididas em cotas. Os possuidores de imóveis localizados em áreas de marinha dividem-se em dois tipos: OCUPANTES (tem apenas o direito de ocupação e são a maioria) e os FOREIROS (os que têm contratos de foro e possuem mais direitos que o ocupante, pois têm também o domínio útil) - estão incluídos nessas categorias os moradores da Baixada Santista e demais cidades brasileiras. Conforme Decreto-Lei nº 9.760/1946, são terrenos de marinha em uma profundidade de 33 metros, medidos horizontalmente para a parte da terra, da posição da linha da preamar-média de 1.831:  a) Os situados no continente, na costa marítima e nas margens dos rios e lagoas, até onde se faça sentir a influência das marés;  b) Os que contornam as ilhas, situados em zonas onde se faça sentir a influência das marés. O que é Foro? O f

Guia de Financiamento Imobiliário

Confira um passo a passo, para realização do financiamento imobiliário. Veja abaixo todos as formas de financiamento para que você realize o sonho da casa própria. Carta de Crédito FGTS Com essa linha de crédito da CAIXA,você usa os recursos do seu FGTS para financiar até 100% da sua casa nova e tem até 30 anos para pagar. Tudo isso com juros bem pequenos, que cabem no seu bolso. Agora é sua vez de comprar a casa que sempre quis, seja ela nova ou usada, em planta ou em construção. PARA FAZER ESTE FINANCIAMENTO VOCÊ PRECISA: Ser brasileiro Ser estrangeiro com visto permanente Ser maior de 18 anos ou emancipado Ter capacidade civil Ter idoneidade cadastral (nome limpo) Ter capacidade de pagamento Não ter um imóvel onde mora Não ser comprador de um imóvel Não ter recebido desconto pelo FGTS Sua idade e o prazo de pagamento não podem passar 80 anos  Carta de Crédito SBPE Financiando a realização do seu sonho com recursos do SBPE(Sistema Brasileiro de Poupa