Novas condições de financiamento no Banco do Brasil

O Banco do Brasil passou a oferecer uma linha de financiamento imobiliário Pró-Cotista. O Pró-Cotista utiliza os recursos do Programa Especial de Crédito Habitacional ao Cotista do FGTS.


A linha de crédito financia até 90% de imóveis avaliados em até R$ 400 mil, pelo prazo máximo de 360 meses. A taxa de juros é de 9% ao ano. 

Confira as condições de contratação:
  • Possuir conta ativa do FGTS e um mínimo de 36 contribuições, consecutivas ou não.
  • No caso em que o cliente não possua conta ativa, é necessário que o seu saldo total no FGTS seja igual ou superior a 10% do valor do imóvel (ou do valor de compra e venda, o que for maior).

São mais de 2 milhões de clientes em habilitados para o financiamento imobiliário neste linha. Com as novas condições definidas em maio pelo Conselho Curador do FGTS. A estimativa do Banco do Brasil é disponibilizar cerca de R$ 1 bilhão para novas operações. 

Recentemente, o BB implementou uma série de medidas para aprimorar suas demais linhas de crédito imobiliário. Para as linhas SBPE, no início do segundo trimestre, o BB ampliou o prazo de financiamento para até 420 meses, e elevou, para até 80%, o percentual de financiamento.

Referências

http://www.bb.com.br/portalbb/page118,3366,3367,1,1,1,1.bb?codigoNoticia=45116
http://bb.com.br/portalbb/page100,116,500237,1,1,1,1.bb?codigoNoticia=37067&codigoMenu=172&codigoRet=17996&bread=5_3

Telefones atualizados com novo prefixo

Seguindo a resolução da Anatel, atualizamos nossos números adicionando o prefixo 9. Ainda é possível o contato através do número antigo, porém existe uma data limite até 31 de dezembro de 2015.

Após a data limite o usuário ouvirá, por um período determinado, uma mensagem que informará que o número NÃO mudou e que terá que fazer a ligação novamente, com o número de destino correto, nesse caso, com 8 dígitos.

Lembrando que esta mudança afeta todos os celulares, sem custo algum, não interferindo na portabilidade. Os telefones fixos permanecerão com os números inalterados.

Confira o mapa e cronograma de implementação da Anatel:

mapa de implementacao anatel





Fique por dentro das taxas de financiamento cobradas pelos bancos privados e públicos

Foi efetuada uma pesquisa pela Revista Proteste que avaliou as taxas cobradas pelo financiamento bancários após as novas medidas econômicas tomadas pelo Governo.
Foram medidos o custo efetivo total (CET), os juros, os impostos, as taxas de administração e os encargos financeiros.

Visualize no quadro abaixo como ficaram as taxas:



O Programa Minha Casa Minha Vida não sofreu alteração.
Fonte: Época Negócios

Bancos privados seguem financiando até 80% do valor dos imóveis usados


Se o seu interesse é adquirir um imóvel usado, não há tantos motivos para se preocupar!
Bancos privados seguem financiando até 80% do valor dos imóveis usados.
Suas taxas de juros variam de uma instituição para outra.
Por esse motivo, o interessado, deve efetuar uma pesquisa e negociar as condições para a aquisição do crédito imobiliário.
O cliente deve fazer uma pesquisa, comparar as taxas e o CET (Custo Efetivo Total) oferecidos, pois devido a restrição da CEF em relação as condições de crédito, as taxas dos bancos apresentam grande variação.
As novas regras da CEF que entraram em vigor a partir de 04/05/2015 são as seguintes: juros mais altos e percentual menor para o limite de financiamento imobiliário.
No caso de contratos pelo SFH a liberação de financiamento baixou de 80% para 50% do valor total do imóvel.
Seguimos trabalhando para oferecer o melhor ao nosso cliente, auxiliando-o a conquistar o imóvel de seus sonhos!



Vivo fora do Brasil e quero investir em imóveis. O que devo fazer?

​​Realize seu sonho da casa própria morando fora do Brasil. Com o Crédito Imobiliário para Emigrantes você que reside, temporariamente, fora do país pode fazer remessas de recursos do exterior para financiar um imóvel no Brasil.​


Crédito imobiliário com ​​​comprovante de renda

​​​​A CAIXA financia imóveis para emigrantes com comprovante de renda​ no exterior.

Aquisição de imóvel novo, usado ou na planta. Aquisição de lote ou terreno. Reforma ou construção. Para você que trabalha no exterior e deseja realizar o sonho da casa própria no Brasil a CAIXA oferece uma linha de crédito com até 360 meses para pagar e até 90% do valor do imóvel financiado (opção no simulador: Residencial).

A quem se destina
Emigrantes brasileiros natos ou naturalizados, com CPF ativo e regular junto à Receita Federal, que tenham no mínimo 18 anos completos ou emancipados e possuam comprovante de rendimentos de fontes situadas no exterior.

Como funciona
Você, que é emigrante, comprovará sua capacidade de pagamento por meio de depósitos mensais regulares em conta de poupança, durante um prazo de doze meses ininterruptos, de modo que, ao final desse prazo, possa ser submetido a uma avaliação de risco de crédito para obtenção de financiamento imobiliário no Brasil.

Abertura da Conta Poupança
Para que você possa fazer os depósitos durante os 12 meses consecutivos, deverá abrir uma Conta Poupança Emigrante, em qualquer agência da CAIXA. Sua conta poderá ser aberta por meio de procuração válida. A documentação exigida para a abertura da poupança é: Documento de identidade e, quando for o caso, do procurador; CPF regular, e, quando for o caso, do procurador; Comprovante de residência do titular no Brasil e, quando for o caso, do procurador.

Depósitos em Conta Poupança
Serão considerados válidos apenas os depósitos realizados por meio de remessas internacionais, pelo próprio titular da conta, para fins de comprovação da capacidade de pagamento do cliente. O cliente determinará o valor dos depósitos mensais com base nos produtos de crédito imobiliário disponibilizados pela CAIXA no ato da abertura da conta de poupança, calculado por meio do simulador de financiamento habitacional. Requisitos.

Aprovação na avaliação de risco de crédito
Condições
Não possuir restrição cadastral ou qualquer outro impedimento.
Realização dos depósitos mensais durante 12 meses.
Depósitos feitos por meio de ordem de pagamento do exterior.

Conheça também o Crédito imobiliário sem ​​​comprovante de renda
​​​​A CAIXA financia imóveis para emigrantes sem comprovante de renda​ no exterior.

Com o Crédito Imobiliário para Emigrantes você pode fazer remessas de recursos do exterior para a comprovação da capacidade de pagamento de financiamento imobiliário no Brasil Assim você, que reside temporariamente fora do país, adquire seu imóvel mesmo sem ter um comprovante de renda. É mais uma ação da CAIXA como banco da habitação para realizar seu sonho da casa própria onde quer que você esteja.

A quem se destinaEmigrantes brasileiros natos ou naturalizados, com CPF ativo e regular junto à Receita Federal, que tenham no mínimo 18 anos completos e não possuam renda formal comprovada.

Como funcionaVocê, que é emigrante, comprovará sua capacidade de pagamento por meio de depósitos mensais regulares em conta de poupança, durante um prazo de doze meses ininterruptos, de modo que, ao final desse prazo, possa ser submetido a uma avaliação de risco de crédito para obtenção de financiamento imobiliário no Brasil.

Abertura da Conta PoupançaPara que você possa fazer os depósitos durante os 12 meses consecutivos, deverá abrir uma Conta Poupança Emigrante, em qualquer agência da CAIXA. Sua conta poderá ser aberta por meio de procuração válida. A documentação exigida para a abertura da poupança é: Documento de identidade e, quando for o caso, do procurador; CPF regular, e, quando for o caso, do procurador; Comprovante de residência do titular no Brasil e, quando for o caso, do procurador.

Depósitos em Conta PoupançaSerão considerados válidos apenas os depósitos realizados por meio de remessas internacionais, pelo próprio titular da conta, para fins de comprovação da capacidade de pagamento do cliente. O cliente determinará o valor dos depósitos mensais com base nos produtos de crédito imobiliário disponibilizados pela CAIXA no ato da abertura da conta de poupança, calculado por meio do simulador de financiamento habitacional.

Requisitos Aprovação na avaliação de risco de crédito
Não possuir restrição cadastral ou qualquer outro impedimento.
Realização dos depósitos mensais durante 12 meses.
Depósitos feitos por meio de ordem de pagamento do exterior.

Gostou dessa Modalidade de Crédito Imobiliário? 
Escolha seu imóvel!


Segundo o maior especialista mundial e investidor americano Sam Zell, agora é a hora de comprar imóvel

Aos 73 anos, o investidor americano Sam Zell, maior especialista mundial em comprar e vender imóveis, passa mais de 200 dias por ano longe de seu escritório em Chicago. Ele recebeu EXAME na suíte de um hotel paulistano na manhã de uma terça-feira, apenas 1 hora depois de ter chegado dos Estados Unidos e a poucos dias de embarcar de novo.
Recentemente, esteve em paí­ses que passam longe do radar de alguns dos principais investidores do mundo, como Líbia e Mongólia. Para Zell, essa curiosidade é essencial na hora de farejar boas oportunidades e, principalmente, para nadar contra a corrente. Ele é especialista em comprar empresas desprezadas pela concorrência e em pular fora na hora certa.
Em 2007, às vésperas da crise americana, fechou o maior negócio da história do mercado imobiliário ao vender a empresa de imóveis comerciais Equity Office Properties por 39 bilhões de dólares. Foi assim também em seu maior investimento no Brasil, a construtora Gafisa — de onde saiu em 2012, meses antes de a empresa despencar na bolsa.
Agora sua maior aposta é a empresa de armazenagem Guarde Aqui, que atua num mercado ainda pouco relevante no país. Enquanto os grandes fundos olham o Brasil com desconfiança, ele diz que essa é a hora certa de novos investimentos por aqui.
EXAME - Dois anos atrás, o senhor disse a EXAME que o Brasil viveria anos difíceis pela frente. E agora?
Sam Zell - O Brasil de fato está passando por um período difícil. Mas eu acredito que as forças do país vão, afinal, prevalecer. O presidente Lula foi bem-sucedido porque combinou ações sociais com prudência econômica. A administração atual esqueceu a prudência. Isso fica claro com as políticas de nacionalização, como no setor de petróleo.
Em vez de usar tecnologias conhecidas em todo o mundo, o país preferiu construir as próprias. Isso é imprudente de qualquer perspectiva. Com a escolha do novo ministro da Fazenda, há chance de uma volta à racionalidade.
EXAME - Então o senhor está otimista com os próximos anos do Brasil?
Sam Zell - Sim. Vocês têm escala. São 200 milhões de pessoas. Isso cria oportunidades. Esta é uma sociedade muito “aspiracional”. Nossa motivação original para investir aqui era a crença de que o movimento das classes mais baixas para a classe média e para a classe alta seria muito positivo para o Brasil.
Claro que está muito mais difícil agora do que há cinco anos. Por outro lado, há cinco anos todos os meus concorrentes estavam aqui. Hoje, até onde eu sei, sou o único. Em nossa história, há uma correlação direta entre sucesso e grau de competição. Com competição intensa, é muito difícil fazer bons negócios.
EXAME - A pergunta que todo mundo faz por aqui: o preço dos imóveis cairá?
Sam Zell - Se tivesse de apostar, apostaria contra a queda de preços. No lado residencial pode ter havido um excesso de oferta em algumas regiões. Mas não houve excesso de oferta em escritórios, no varejo, em galpões.
É diferente do que aconteceu nos Estados Unidos, onde tudo parou. Os bancos pararam. No Brasil, os bancos estão bem. E não acho que vocês tenham os instrumentos financeiros tóxicos que contribuíram para os problemas nos Estados Unidos.
EXAME - O senhor é conhecido por grandes investimentos. Mas hoje, no Brasil, tem investimentos pequenos na construtora paranaense Thá e na empresa de estocagem Guarde Aqui. Planeja grandes tacadas?
Sam Zell - Estamos prontos para fazer grandes ou pequenos investimentos de acordo com o tamanho das oportunidades. Não nos preocupamos com o tamanho do investimento, mas com o potencial de crescimento e com a possibilidade de fazer a diferença em determinado mercado.
A Guarde Aqui atende a classe média ascendente. Ela quer acumular coisas. E os apartamentos estão cada vez menores. Aqui já somos líderes de mercado, mas temos enormes oportunidades para crescer. Não vejo limites. No Grupo Thá, somos muito mais dependentes da saúde do mercado residencial.
EXAME - O Brasil ficou para trás na comparação com seus vizinhos?
Sam Zell - A Colômbia e o Peru são as estrelas do continente agora. Quando viemos ao Brasil pela primeira vez, jamais teríamos investido na Colômbia. Agora temos grandes investimentos por lá. Se tivesse de escolher um país favorito no mundo, atualmente, seria a Colômbia. O Peru está no nosso radar.
Provavelmente, o elefante na sala é a Argentina, que está uma bagunça total. Eles terão uma oportunidade com uma mudança de governo no ano que vem. A Argentina tem uma longa história de irresponsabilidade fiscal, que torna investir por lá muito desafiador.
EXAME - O senhor se preocupa com o ambiente político da região?
Sam Zell - Claro. Olhe para o real, que foi de 1,75 para 2,60. É uma desvalorização muito grande. E obviamente vai trazer dificuldades para o país, vai criar inflação. Decisões políticas impactam diretamente nossos investimentos.
EXAME - Política é o fator mais importante na hora de o senhor decidir investir ou não em determinados mercados?
Sam Zell - Começa com a política. Depois vem a economia. Mas, se a política não for razoável, a economia não importa. Aprendemos isso em países como a Venezuela. Outra questão importante é a demografia. No Japão e na maior parte da Europa, há menos pessoas em dezembro do que havia em janeiro.
Como um investidor, o que faço é tentar determinar onde a demanda está e ver como eu conseguirei suprir essa demanda. Se a população estiver encolhendo, a demanda também estará. Então, eu prefiro investir no Brasil ou na Índia, onde a população e a demanda vão crescer.
EXAME - Como o senhor estuda seus mercados potenciais?
Sam Zell - Eu leio o tempo todo. E também viajo muito. Há algum tempo, comecei a ler sobre a Mongólia. Li que a Gucci estava abrindo uma loja em Ulan Bator, capital do país. Achei aquilo maluco. Peguei um avião e fui até lá. Não havia nada lá para eu fazer, mas é tudo parte do processo de aprendizagem.
Você não pode ser um empreendedor de sucesso se não é um observador atento. Isso é fundamental para ver as coisas com simplicidade. Hoje, imóveis representam cerca de 30% de meus investimentos. Os outros 70% estão distribuídos em diversas áreas.
Mas isso não traz complexidade. Não investimos em alta tecnologia, por exemplo, porque não conhecemos. Mas investimos muito em áreas como energia e logística, em que podemos fazer diferença.
EXAME - Como diferenciar uma boa oportunidade de um negócio com risco excessivo?
Sam Zell - Minha análise começa não com quanto posso ganhar, mas com quanto posso perder no negócio. Dedico 80% da minha atenção a isso. Nos anos 90, por exemplo, fechei uma enorme compra na Califórnia. Nossa análise apontou que, se tudo desse errado, perderíamos 50 milhões de dólares. E de fato passamos por incêndios, terremotos e essas coisas que acontecem por lá. Perdemos justamente 50 milhões. Para mim, é um caso de sucesso.

Cartilha de Manutenção dos Consertos do Imóvel Alugado

QUEM PAGA OS CONSERTOS NO IMÓVEL LOCADO As dúvidas são muitas quando se trata de  consertos no imóvel locado  e quem deve arcar com...