Boa notícia: Caixa toma diversas medidas e reduz os juros para financiamento

A partir do dia 09/11/16 a Caixa irá baixar os juros do crédito imobiliário.

Isso trará um novo fôlego ao mercado da construção civil, já que a Caixa possui a maior participação de fornecedor de imóveis no País, com quase 67% de participação no mercado.

Essa medida irá impulsionar a queda de juros praticados pelos bancos concorrentes, proporcionando assim melhores opções de escolha para o consumidor.

Segundo a Caixa, esse é um reflexo da queda da taxa básica de juros (Selic), que foi reduzida em outubro para 14% pelo BC.
"O objetivo é contribuir para alavancagem de vendas de imóveis novos de construtoras parceiras e, consequentemente, atrair novos clientes para a instituição, com condições especiais no crédito imobiliário", informou a instituição.
Foram tomadas várias medidas pela Caixa para incentivar o setor da construção civil, sob a direção de Gilberto Occhi, no Governo de Michel Temer.

Essas novas taxas irão variar da mesma forma que a atual, dependendo do tipo de relacionamento que o consumidor desejará manter com a Caixa. Veja abaixo as principais medidas:

  1. O percentual foi reduzido em 0,25% ao ano para todas as taxas de pessoas físicas,  independente do tipo de relacionamento com o banco.
  2. O limite de financiamento para as famílias dobrou: de R$ 1,5 milhão para R$ 3 milhões, e aumentou o percentual que pode ser financiado.
  3. Destinou para as construtoras R $ 10 bilhões, reabrindo uma linha específica que permite que as operações sejam fechadas com 80% de execução das obras.
  4. Reformulou a linha que financia materiais de construção, o Construcard.
  5. Maior queda: clientes que adquirirem imóveis novos ou na planta, cuja construção tenha sido financiada pela Caixa, que optem por receber salário pela instituição. As taxas cobradas serão as mesmas destinadas aos funcionários públicos, que cairão de 1,22% para 9,75% ao ano. No caso de imóveis no SFH as taxas cairão de 12,5% para 10,75% ao ano, para imóveis enquadrados no SFI.
  6. Diminuição do limite mínimo de financiamento da poupança, de R$ 100 mil para R$ 80 mil; validos tanto para imóveis novos como também para os usados, dentro do SFH ou do SFI.Para empresas: as MPE os juros passarão de 14% para 13%, e para as médias e grandes empresas de 13,5% para 12,5%.

Essa é a alavanca que faltava para você buscar o seu novo imóvel!

Consulte nosso site e veja as melhores opções para você e sua família.
http://www.imoveisjoaopessoa.com.br/

Fonte: O Povo